Concessões rodoviárias – Recuperação do tráfego de veículos em junho

2018-07-16T10:16:27+00:00 12/07/2018|Boletim Diário, Empresas e Setores|

Nossa recomendação para o setor de concessões rodoviárias é de Compra para ECOR3 (R$ 12,00/ação).

O tráfego nas estradas brasileiras pedagiadas em junho caiu 3,3%, comparado ao mesmo mês de 2017, segundo os dados divulgados pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR).  Em relação a maio/18, houve um aumento de 13,6% na movimentação de veículos.

Estes dados mostram a recuperação do tráfego em junho, após a greve dos caminhoneiros no mês anterior.  Naturalmente, o maior crescimento em junho, comparado a maio, veio dos veículos pesados, com crescimento de 47,0%.  Este forte aumento é resultado da desobstrução das vias e do suprimento da demanda represada pela greve.  Nos veículos leves, houve apenas um pequeno aumento em relação a maio (3,4%) e uma expressiva queda na comparação com junho/2017 (7,5%).  Pode-se atribuir este desempenho dos leves aos altos preços da gasolina e a eventos como a Copa do Mundo, que diminuem o tráfego.

Estes números são indicativos para os resultados das empresas abertas do setor (CCR, Ecorodovias e Triunfo), cujas ações sofreram muito nos últimos meses.

Após a crise em 2015 e 2016, o tráfego nas rodovias brasileiras vinha em recuperação desde o final do ano passado.  Em 2018, a movimentação de veículos estava crescendo muito até abril, mas a greve em maio comprometeu em parte este movimento.  Mesmo assim, o tráfego total do primeiro semestre deste ano ainda ficou 1,1% acima do mesmo período de 2017, com destaque para a movimentação de veículos pesados, que aumentou 2,4%.

O tráfego apresentou um bom desempenho nas concessões das grandes empresas no 1T18.  Na CCR, a movimentação de veículos em suas concessões rodoviárias no trimestre cresceu 2,3%, comparado ao 1T17.  Nas rodovias administradas pela Ecorodovias, o aumento foi de 1,4%.  Nas cinco estradas administradas pela Triunfo, o tráfego teve uma elevação de 1,9% no 1T18, em relação ao mesmo trimestre de 2017.